Como atuam os corretores de imóveis no exterior

Apesar de serem tão importantes quanto aqui, os corretores de imóveis atuam de forma diferente em outros países, por conta de certas peculiaridades do mercado local.

Cada país tem regras próprias no quesito formação profissional, para início de conversa, sendo que poucos exigem o registro profissional, como acontece no Brasil.

Nos Estados Unidos, por exemplo, passar por extensos cursos profissionalizantes é muito mais importante do que ostentar um número no cartão de visita.

Foto: Divulgação

Corretores atuam com análises estatísticas

Outro fator fundamental lá fora é a participação em associações de classes. Estas organizações são fortes e garantem a credibilidade de quem as integra – esse é o caso do Reino Unido, onde a filiação é obrigatória.

Corretores de imóveis, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, são também muito mais atuantes no levantamento, análise e divulgação de estatísticas de mercado, se comparados aos brasileiros.

Outra característica do Reino Unido é que lá o trabalho do corretor nem sempre acaba com o fechamento do contrato. Muitos deles atuam como administradores pós-compra, prestando consultoria, acompanhando pagamento de taxas, a manutenção do imóvel e sugerindo novos investimentos para seus clientes.

Aluguel é mais forte na Alemanha

As especificidades do mercado imobiliário lá fora também determinam diferentes focos estratégicos e áreas de especialização para os corretores estrangeiros. Na Alemanha, o aluguel é muito mais forte do que a compra, por exemplo – mesmo entre casais com filhos – e, por isso, os corretores desse país têm forte interesse nesse segmento.

E, por conta do grande número de estudantes que se mudam para estudar em uma faculdade, o mercado de quartos e vagas para alugar também é de alto interesse para os corretores europeus. Muitos deles administram prédios inteiros para seus clientes, cuidando da entrada e saída de novos estudantes a cada semestre.

Atribuições são mais amplas

As atribuições dos corretores em outros países incluem ainda a manutenção de móveis e utilidades domésticas, já que muitos imóveis são alugados e comprados completamente ou parcialmente mobiliados.

E, em mercado com baixa oferta de imóveis, como o da Irlanda, as visitas são muitas vezes feitas em conjunto, com o corretor apresentando o imóvel para diversos interessados ao mesmo tempo e tendo o privilégio de escolher depois qual oferta irá aceitar.

O oposto também acontece, principalmente nos Estados Unidos, onde corretores disputam entre si o direito de vender um determinado imóvel. É comum que donos de grandes propriedades marquem reuniões com diversos corretores, os quais trazem apresentações multimídia e outros recursos capazes de comprovar que ele é a melhor opção para vender, comprar ou administrar aquele imóvel.